quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

DEBATE NA REVISTA ÉPOCA


Vereadores concordam com gastos, em debate na Época

Quatro vereadores - dois deles novatos -, alguns assessores, jornalistas preocupados com a cidade e cidadãos interessados em ver seus representantes assumindo compromisso com São Paulo. Encurto assim as duas horas de debate realizadas nessa segunda-feira, no auditório da Editora Globo, e organizada pela Revista Época São Paulo. Gabriel Chalita e Mara Gabrilli do PSDB, Netinho de Paula do PC do B e Senival do PT trataram de temas como educação, transporte, acessibilidade e respeito ao dinheiro público.

Goulart do PMDB alegou estar doente e não compareceu ao encontro, enquanto Milton Leite do DEM não se interessou sequer a responder o convite da organização que pretendia reunir os seis vereadores mais bem votados da capital paulista.

Quem foi, porém, teve a oportunidade de explicar suas idéias sobre o papel do vereador na capital paulista. Nenhum dos quatro criticou os gastos de pouco mais de meio milhão de reais, por mês, com verbas indenizatórias feitos pelos atuais vereadores. Entendem que o número de funcionários no gabinete, 18 no total, é necessário. Mara disse que não se sente atendida pelo corpo técnico da Câmara Municipal, enquanto Chalita acenou com a possibilidade de reduzir o número de indicados para melhorar o salário de cada um deles. Senival disse que as verbas não pagam apenas salários, mas custos com gráficas o que é fundamental para o vereador mostrar o seu trabalho ao cidadão. Idéia que é compartilhada por Netinho de Paula.

Uma pergunta que levei a eles a partir de provocação feita pelo Movimento Nossa São Paulo me obrigou a assumir compromisso com os vereadores e a platéia. Como nenhum demonstrou conhecer as 15 propostas apresentadas durante a campanha eleitoral pela entidade fiquei de pedir ao Movimento - e o faço através do blog - que procure os vereadores e entregue em mãos as idéias que vão desde mudanças no combustível usado pelos ônibus a ampliação do tempo da criança na escola.

Guilherme Evelin, da Época, Fausto Siqueira, do G1, Tatiana Farah, de O Globo, e João Carlos Moreira, do Diário de São Paulo, participaram com perguntas aos vereadores, também.

Resposta aos internautas

O Hilton deixou pergunta no blog para Netinho de Paula e Gabriel Chalita. E ambos disseram que pretendem cumprir os quatro anos de mandato como vereador. Netinho não foi assim tão afirmativo, pois existe um desejo explícito nas primeira entrevistas de sair candidato a senador. Vai pegar mal, avisei em público.

O pedido do Alecir Macedo que adotou Netinho de Paula na campanha lançada pelo CBN São Paulo foi repassado para o vereador eleito.

O Edson questionou Mara Gabrilli sobre a dificuldade para recuperar a passarela Rolim Amaro, diante do Aeroporto de Congonhas. O local é tombado pelo patrimônio histórico o que impede de que se faça melhorias e se torne o local acessível. “Só em São Paulo acontece este absurdo”, reclamou a vereadora tucana. Ao mesmo tempo apontou alguma situações em que foi possível obter as mudanças necessárias apesar do local ter sido tombado.

Foi a pergunta do Marcos que mobilizou a discussão sobre a qualidade das calçadas. Senival e Netinho lamentaram que na periferia sequer via pública tem para o cidadão, quanto menos calçada acessível. Chalita ponderou que os projetos têm de levar em consideração a realidade de cada região. Enquanto nos bairros centrais é possível discutir acessibilidade, nos locais mais pobres é necessário, primeiro, resolver o problema do saneamento. Mara, experiente na discussão, sugeriu redução de IPTU para o proprietário que conservar e recuperar sua calçada.

A Época SP publicará reportagem sobre o debate na sua próxima edição e o G1 deverá colocar à disposição o vídeo completo com a discussão.

Transcrito do blog Milton Jung

Postagens populares