terça-feira, 11 de maio de 2010

Ficha-Limpa vira trunfo em discurso de partidos

Plínio Teodoro, plinio.silva@grupoestado.com.br

Criado por iniciativa popular, com mais de 2 milhões de assinaturas de apoio de eleitores até o momento, o projeto Ficha-Limpa acabou incorporado ao discurso eleitoral dos partidos e já faz parte da estratégia de marketing das siglas para colar a imagem ao compromisso com a ética. Após o PV, da presidenciável Marina Silva, anunciar que não vai admitir em seu quadro políticos que tenham condenação na Justiça, ontem foi a vez dos presidentes do PT, José Eduardo Dutra, e do PSDB, Sérgio Guerra, repetir a deixa.

“Não teremos em nosso partido nenhum candidato com ficha suja”, disse Guerra. “Nós também, nós aplicamos o ficha-limpa desde a fundação do partido”, emendou Dutra, durante debate promovido pelo Estado.

Na prática

Uma rápida consulta ao Projeto Excelências - único banco de dados com informações de parlamentares com processos na Justiça, organizado pela ONG Transparência Brasil -, mostra que, entre os parlamentares em exercício nas três esferas do legislativo, há 98 tucanos, 82 petistas e 15 verdes com pendências nas cortes estaduais e Tribunais de Contas.

Eles representam 34% dos políticos do PSDB, 27% do PT e 19% do PV que atualmente ocupam cargos de vereadores, deputados estaduais e federais ou senadores. Entre os 98 tucanos que respondem a processo, vinte deles sofreram condenações. Dos 82 parlamentares petistas, são dez os condenados. No caso do PV, 12 dos 15 já tiveram sentença desfavorável. Mas, à maioria, ainda cabe recursos das decisões.

O número de políticos que respondem a processos deve ser maior, já que o Projeto Excelências não contempla o Executivo.

Os processos em primeira instância são incluídos no banco de dados somente quando movidos pelo Ministério Público. No levantamento também ficam excluídos os processos de natureza particular, como disputas por pensão alimentícia e queixas de crimes contra a honra, das quais os parlamentares são alvo frequente.

Volta à pauta

Após aprovação do texto-base e a rejeição de três destaques na semana passada, o projeto Ficha-Limpa volta hoje à pauta da Câmara dos Deputados

Os parlamentares devem colocar em votação os nove destaques pendentes, que podem alterar o texto original

Ontem, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) enviou parecer aos deputados pedindo a rejeição das propostas

Para a ONG, se aprovados, os itens vão desfigurar o projeto

Do JT Política

Postagens populares