quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Disputa na Câmara repete eleição


Escolha do presidente do Legislativo municipal coloca lado a lado PT e vereadores que tinham apoiado os petistas Aloizio Mercadante e Dilma Rousseff na disputa nas urnas. PSDB deve lançar candidato ao cargo com apoio de tucanos e de Kassab


JOÃO CARLOS MOREIRA


A campanha eleitoral encerrada no dia 31 deve se refletir na escolha do novo presidente da Câmara Municipal de São Paulo e na relação do prefeito Gilberto Kassab (DEM) com os vereadores. As alianças oficiais ou informais do PT com parlamentares de partidos como PR, PP, PTB e mesmo o DEM, durante a disputa presidencial e de governador, abriram caminho para uma aproximação ainda maior entre petistas e os vereadores do Centrão, criando condições para que o grupo se mantenha no comando da Mesa Diretora da Câmara.

"Vamos apoiar a candidatura do Centrão à presidência da Câmara. Ainda que existam eventuais diferenças pontuais com o grupo, o Centrão é formado por gente que esteve conosco na disputa eleitoral deste ano", disse o vereador José Américo, líder da bancada do PT. O Centrão reúne vereadores do PR, DEM, PTB e PMDB, entre outras legendas que votam em bloco e independentemente de seus partidos. A boa relação do PT com o grupo não é nova, mas se estreitou com o apoio aos petistas Aloizio Mercadante e Dilma Rousseff na disputa eleitoral.

Candidato

Para a eleição da Mesa da Câmara, o Centrão tem como pretendentes ao cargo de presidente os vereadores Milton Leite (DEM) e Aurélio Miguel (PR). Ainda assim, alguns integrantes do bloco já dão como praticamente certa a candidatura de Milton Leite, atual segundo secretário da Mesa. Aurélio Miguel, porém, disse que o processo está em discussão.

Do lado do governo, o vereador José Police Neto (PSDB), líder do prefeito na Câmara, tenta emplacar sua candidatura a presidente, mas enfrenta rejeição do Centrão e da oposição. Para os governistas, a eleição do tucano facilitaria a relação de Kassab com a Câmara.

Neto minimizou a aproximação entre PT e Centrão. "Alianças eleitorais só vão se consolidar daqui a dez meses, quando se iniciam articulações para a sucessão do Kassab. Ou seja, o que pode mudar ou fortalecer alianças é o processo da eleição de 2012, não de 2010." Mas o petista José Américo reitera a afinidade com o bloco. "E ainda vamos buscar outros apoios para compor a Mesa", afirmou.

Vereador cumpre segundo mandato
O ex-judoca Aurélio Miguel, de 46 anos, está em seu segundo mandato como vereador. Líder do PR na Câmara, ele faz parte do Centrão. Como os demais integrantes do bloco, vota em conjunto com o grupo e com a oposição do prefeito Gilberto Kassab.

55 
vereadores formam a Câmara. O presidente se elege com 28 votos

Tucano apoiou reeleição de Kassab

Líder do prefeito na Câmara, o vereador José Police Neto, de 38 anos, está em seu segundo mandato como parlamentar. Assumiu a liderança logo no início da gestão Kassab. Apoiou a reeleição do prefeito em 2008 contra o tucano Geraldo Alckmin.

15 
de dezembro é o dia da eleição na Câmara Municipal da capital

Candidato foi um dos criadores do Centrão
Milton Leite, de 54 anos, cumpre seu quarto mandato na Câmara. É considerado um dos principais líderes do Centrão, bloco que ajudou  a criar ainda na gestão de Marta Suplicy. Elegeu um filho deputado estadual e outro para federal.



Do Diário São Paulo

Postagens populares