sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Mais da metade dos paulistanos não confia na administração pública

Bombeiros, Correios e Metrô foram os mais bem avaliados pela população, aponta levantamento

Gabriel Vituri - estadão.com.br
Mais de 50% dos moradores de São Paulo não confiam nas principais instituições públicas da cidade, entre elas o Ministério Público, a Prefeitura e a Câmara Municipal. Além disso, 51% dos habitantes da capital paulista mudariam para outro município se pudessem. Os dados foram divulgados na manhã desta quinta-feira, 20, pelo Movimento Nossa São Paulo, responsável pelo levantamento sobre o nível de satisfação dos moradores da cidade em 2010.

Veja também:

Confira a pesquisa IRBEM na íntegra

Apenas 36% dos entrevistados disseram confiar na Câmara Municipal. O Tribunal de Contas do Município (TCM) e a Prefeitura vêm em seguida, com 40% e 47% de confiança, respectivamente. Por outro lado, Corpo de Bombeiros, Correios e Metrô são consideradas as instituições mais confiáveis da cidade, com 94%, 92% e 84% de aprovação. Sabesp (84%), Eletropaulo (80%) e Procon (78%) também obtiveram altos índices.

Política. O quesito "Transparência e Participação Política" teve a pior avaliação no IRBEM, que também avaliou aspectos como saúde, educação, lazer e religião. No total, 25 temas foram abordados, subdivididos em 169 itens.

Embora tenha subido de 4,8 em 2009 para 5 no ano passado, o índice médio de satisfação do paulistano continua abaixo da média (5,5), numa escala de 1 a 10, em que 1 significa totalmente insatisfeito e 10 totalmente satisfeito. Para os entrevistados, as relações humanas e a espiritualidade aparecem como fatores de maior satisfação, assim como trabalho. Já transporte, acessibilidade, desigualdade social e política são os fatores que mais incomodam os cidadãos.

Mudança. O índice de paulistanos que se mudariam da capital caso pudessem caiu para 51% em 2010 (no ano retrasado o total era 57%). A proporção, no entanto, ainda revela que o desejo da maioria é morar em outra cidade - 48% preferem permanecer em São Paulo e 1% não soube dizer ou não responderam.

A pesquisa encomendada ao Ibope ouviu 1.512 pessoas entre os dias 29/11 e 12/12 de 2010.

Do ESTADAO.COM.BR

Postagens populares