terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Corregedoria da Câmara de SP apura contratação irregular de gráfica

Vice-presidente da Casa é suspeito de usar gráfica de sua mulher.
Advogado de Antonio Goulart (PMDB) nega irregularidade no negócio.

Do G1 SP


A Corregedoria da Câmara Municipal vai investigar a denúncia de uso de dinheiro público pelo vereador Antonio Goulart (PMDB) para contratar a gráfica da mulher dele. O vereador, que é vice-presidente da Casa, pediu licença e não apareceu na Câmara nesta terça-feira (1º).

A abertura dos trabalhos na Câmara Municipal foi marcada pela denúncia de uso irregular de verba de gabinete e pela ausência do suspeito. A reportagem foi ao gabinete do vereador do PMDB, vice-presidente da casa, mas foi informada que ele está de licença não remunerada.

De acordo com a reportagem publicada nesta terça-feira no jornal "O Estado de S.Paulo", o vereador contratou a gráfica da mulher com dinheiro público.

Antonio Goulart é suspeito de ter gasto pelo menos R$ 37 mil de verba de gabinete na gráfica da qual a mulher dele é sócia: uma prática irregular, porque uma resolução da Casa proíbe que vereadores e seus cônjuges firmem contratos com órgãos da administração pública.

O advogado do vereador, Ricardo Vita Porto, diz que não houve irregularidade. “Essa empresa não mantém nenhum contrato com a administração pública, quer com a Câmara Municipal, com a Prefeitura Municipal. O que houve foi a prestação de um serviço que foi reembolsado e nisso não há absolutamente nenhuma irregularidade."

A Corregedoria da Casa vai apurar os fatos e ouvir o vereador Antonio Goulart. “Quebra uma regra da Casa e nós temos que averiguar isso em intensidade, em valor, em quanto tempo. São essas questões que temos que analisar a cada processo”, afirma o vereador Marco Aurélio Cunha, corregedor da Câmara Municipal.

Do Portal G1

Postagens populares