quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Kassab dá ao PCdoB pasta especial da Copa

Mesmo sem decidir se muda ou não de partido, prefeito já se aproxima de legendas que apoiam Dilma de olho em composições para 2012 e 2014


Diego Zanchetta, de O Estado de S.Paulo
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), vai entregar ao PCdoB, aliado histórico do PT, a tarefa de organizar a Copa de 2014 na capital. No mesmo movimento, Kassab vai abrir espaço para acomodar mais duas legendas - PR e PDT -, ampliando não só sua base de governo como agregando possíveis aliados para as eleições de 2012 e 2014.
Até o fim de fevereiro, Kassab vai criar uma nova pasta, a Secretaria Especial da Copa, que será responsável por coordenar os projetos para a construção de um estádio em Itaquera, na zona leste, e de um centro de mídia para o Mundial. Na noite de terça-feira, o Diretório Municipal do PC do B aprovou a aliança com o prefeito. A decisão precisa do aval do Diretório Nacional, mas tanto Kassab quanto membros do partido em São Paulo dão o acordo como certo. "Eles (PC do B) têm quadros muito capacitados para assumir essa função. Ela (secretaria) vai concentrar tudo", disse o prefeito.
Na semana passada, Kassab havia convidado o partido a indicar um nome para a nova pasta, que terá sob sua responsabilidade cerca de R$ 1 bilhão em 2012. A mais cotada é Nádia Campeão, ex-secretária de Esportes na gestão Marta Suplicy (2001-2004) e candidata a vice na candidatura de Aloizio Mercadante (PT-SP) ao governo, no ano passado.
Além de contemplar o novo aliado, Kassab avalia que ter o PC do B na Prefeitura facilitará a liberação de verba federal para projetos da Copa, já que o partido manteve o Ministério dos Esportes no governo Dilma Rousseff. "A Copa tem de ser uma confluência de esforços", disse o vereador Jamil Murad (PC do B).
Eleições
Desde a eleição para a presidência da Câmara, em dezembro, Kassab tem se aproximado do PC do B e havia prometido uma secretaria ao partido. O movimento também vislumbra uma eventual composição para as eleições de 2012 - o prefeito não pode concorrer à reeleição - e 2014, principal projeto político de Kassab, seja qual for o partido ao qual esteja filiado.
Nesse sentido, o prefeito aproveitou para incorporar ao secretariado o PR e o PDT, legendas com as quais Kassab também cogita alianças nas próximas duas eleições. Ambas apoiam Dilma no âmbito federal.
O PR assumirá o lugar do PSDB na Secretaria de Esportes. Por sua vez, o PDT ocupará a Secretaria do Trabalho, que será desmembrada da atual pasta de Desenvolvimento Econômico.

Postagens populares