segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Com 73% das metas pendentes, Kassab diz que merece 'nota dez'

Prefeito ainda não conclui 163 da Agenda 2012, como investimentos no Rodoanel

Nataly Costa, de O Estado de S. Paulo
O prefeito Gilberto Kassab (PSD) vai começar o último ano da sua gestão com 73% das metas prometidas para 2012 ainda por fazer. Dos 223 itens que a Prefeitura incluiu no plano de metas conhecido como Agenda 2012, 160 ainda estão incompletos e outros três nem começaram, como o investimento de R$ 300 milhões no Rodoanel e a implantação de mil postos de coleta voluntária de material reciclável.
Kassab: 'Minha nota é dez, com louvor' - Hélvio Romero/AE - 29.12.2011
Hélvio Romero/AE - 29.12.2011
Kassab: 'Minha nota é dez, com louvor'
O prefeito apresentou o relatório de metas de sua gestão no dia 29 de dezembro. Questionado sobre a nota que dá para sua gestão, Kassab se deu nota máxima. "É sempre dez. Um gestor que não se dá dez é porque acha que está errando. Minha nota é dez, com louvor."
Em três anos de Agenda 2012 – criada em 2009 –, Kassab só cumpriu totalmente 60 metas, ou 26% do que foi prometido. E algumas delas são coisas prosaicas como "apresentação da candidatura de São Paulo como sede do encontro C40" ou a "criação de dois novos viveiros de plantas".
No entanto, metas fundamentais para a cidade em áreas-chave – transporte, segurança, educação e saúde– estão longe de serem cumpridas. O prefeito agora só tem mais um ano para entregar oito dos noves terminais urbanos prometidos e colocar em operação 66km de corredores de ônibus.
A gestão também não entregou nenhuma das 8.400 câmeras de monitoramento de segurança espalhadas pela cidade, não zerou o déficit de vagas nas creches e não construiu nenhuma das 50 unidades de atendimento odontológico – as Ama Sorriso – que deveriam estar espalhadas nas 31 subprefeituras.
Para a Prefeitura, porém, esses itens constam como "em andamento", mesmo estando ainda em pré-projeto, alguns em fase de "definição de local". Mesmo a passos lentos, metas assim entram no indicado criado pela gestão no começo do ano e batizado de "Índice Geral de Eficácia".  O prefeito e o secretário de Planejamento Rubens Chammas anunciaram ontem que esse índice chegou a 67%, segundo cálculos da Prefeitura. No ano passado, a gestão avaliou a própria eficácia em 49%. Os métodos de avaliação para se chegar a esse número não são revelados.
"Temos grandes perspectivas de passar dos 90% de eficácia até o fim do ano", disse o prefeito. Citou ainda outros "grandes projetos" que foram feitos em sua gestão que não estão no programa de metas: a Lei Cidade Limpa, que é do primeiro mandato do prefeito, e a Operação Delegada, do segundo mandato.
Fonte: ESTADÃO.COM.BR


Postagens populares