segunda-feira, 15 de abril de 2013

Exposição Campo Limpo Vivo

Texto e Fotos: Devanir Amâncio - ONG Educa São Paulo

A ex-mata virgem que virou cidade será reproduzida para exposição fotográfica pela Subprefeitura do Campo Limpo/Supervisão de Cultura.

Entre topos e colinas do Campo Limpo, na zona sul da periferia paulistana, se deu o desenvolvimento. Moradores antigos do bairro dizem que foi tudo muito rápido. O sertão - Capão Redondo, Parque Fernanda e Valo Velho - desbravado pelo trabalho escravo,  imigrantes europeus, e , bem depois,  toda a mata descoberta por nordestinos em busca do direito de vida melhor. E os índios? Sobraram poucos! Ficaram sem terra.

As fotos que se veem são raridades do UNASP - Centro Universitário Adventista de São Paulo, no Capão Redondo, desde 1915.

No Capão Redondo há quem conta histórias dos 'capitães do mato' e até se diz neto, bisneto ou tataraneto  ou simplesmente parente de um capitão do mato. Fala ter foto para provar. Há ainda quem garanta que  capitão do mato ainda existe em São Paulo - escondido,  mas existe, age em silêncio.

Com o  acervo fotográfico, a subprefeitura busca estabelecer uma ponte histórica ligando 1800 a 2013.

Mata virgem, fazendas, plantações de batatas, uvas e abacaxis, parques, praças públicas, monumentos e personagens. Os povoados se reencontrarão, a história se reencontrará. A história do trabalho árduo de um povo, do desenvolvimento, da grandeza da cidade grande.

Campo Limpo é grande, Capão Redondo é grande, São Paulo é uma só.  Paz !? A cidade pede paz.

Quem tiver  uma foto antiga do bairro e  quiser colaborar com a formação do  acervo  poderá levar  à Supervisão (rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 59) onde será reproduzida.

Postagens populares