sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Vigilância fará vistoria em lojas onde foram achados alimentos vencidos (Supermercados Roldão)

Flagrante aconteceu na manhã de quinta em São Paulo.
Saiba a quem recorrer se comprar algum produto estragado.


A Vigilância Sanitária fará vistoria nas lojas onde foram encontrados alimentos vencidos na quinta-feira (7). Dois gerentes da rede de supermercados Roldão foram presos, em flagrante por manterem nos estabelecimentos onde trabalham, um no Butantã, Zona Oeste de São Paulo, e outro no começo da avenida Alcântara Machado, no Brás, Zona Leste, diversos produtos alimentícios em condições irregulares. Os gerentes das duas lojas pagaram fiança de R$ 5 mil cada um e foram indiciados por crime contra a saúde pública.

Os produtos apreendidos na quinta foram levados para a perícia. A rede atacadista Roldão não quis gravar entrevista e informou ao SPTV que há um controle rigoroso sobre datas de validade dos produtos e que tudo será apurado. A Vigilância Sanitária Municipal não tinha recebido, até o início da tarde desta sexta-feira (8) o relatório e já adiantou que fará novas vistorias nas lojas.

As lojas abriram normalmente nesta sexta. Foram apreendidos mais de mil produtos como queijo, presunto, salsicha e carne. A polícia diz que os alimentos vencidos foram embalados novamente, com outras etiquetas e colocados à venda ilegalmente.


Vistoria
A delegacia de crimes contra a saúde pública existe há um ano e dois meses. Nesse tempo, foram apreendidas 150 toneladas de alimentos que não serviam para o consumo. A maioria estava com a data de validade vencida ou era armazenada de forma errada. Entre os produtos que mais apresentam problemas estão presunto, salsicha, linguiça, carnes, peixes, queijos, iogurtes e pães.

A Vigilância Sanitária recomenda cuidado, na hora de comprar produtos que precisam ficar na geladeira. Quando o alimento é vendido em fatias, por exemplo, o prazo de validade é menor.


Procedimentos
Pela aparência, o consumidor pode desconfiar se o produto foi reembalado ou não. Na dúvida, pode chamar a delegacia que investiga os crimes contra a saúde pública. Isso porque se a empresa for culpada, ela não vai receber apenas a multa da Vigilância Sanitária, que varia de R$ 100 a R$ 500 mil, mas o responsável também pode ser punido criminalmente.

De acordo com o delegado Anderson Giampaoli, o importante é que a população saiba que hoje a Polícia Civil tem um departamento específico para recorrer. “O que antes era apenas infração administrativa, hoje esses empresários, mau empresários, respondem criminalmente e essas denúncias podem chegar, seja diretamente no nosso departamento ou via telefone.”

A denúncia pode ser anônima. “Nós encaminhamos uma equipe para o estabelecimento para checar o que está ocorrendo. Dependendo da gravidade, também acionamos a Vigilância Sanitária. Porque sabemos que hoje, além da responsabilidade criminal, e dependendo da gravidade dos fatos o estabelecimento pode ser interditado”, afirma Giampaoli.

O endereço da Delegacia de Crimes contra a Saúde Pública é na Avenida São João, 1.247. O telefone para denunciar o estabelecimento é (11) 3338-0155.


Postagens populares