quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Vereadores de SP receberão tablets na primeira sessão da Câmara

Gasto com aluguel do equipamento é superior à economia com papel. Police Neto, no entanto, diz que medida dará transparência ao Legislativo. 


Letícia Macedo do G1/SP
Os 55 vereadores de São Paulo receberão tablets na primeira sessão do ano da Câmara Municipal, na tarde desta quarta-feira (1º). A iniciativa, que faz parte do programa Papel Zero, tem o objetivo de fazer uma economia na compra de papel de cerca de R$ 90 mil por ano. O gasto com o aluguel dos equipamentos, com uma conexão 3G, no entanto, prevê um investimento anual de R$ 115.381,20.

Embora o valor gasto seja maior que a economia a ser realizada pela Casa, para o presidente da Câmara, Police Neto, a inclusão dos tablets na rotina dos vereadores trará mais transparência ao processo legislativo. “É uma questão de economia de dinheiro e nós deixaremos de derrubar parte da nossa floresta. Mais importante ainda é a percepção de que o cidadão pode ter acesso a tudo que os parlamentares também têm acesso”, diz.

O objetivo é que, posteriormente, os cidadãos tenham acesso mais amplo aos processos que tramitam pela Câmara, já que eles estarão digitalizados. Atualmente, apenas pareceres e justificativas estão disponíveis no site da Casa.

Ele diz que o aluguel do equipamento com direito ao acesso 3G é mais vantajoso que a aquisição do aparelho pela Câmara e a posterior contratação do serviço de comunicação. “O aluguel do equipamento com a conexão de internet representa uma economia de 20 a 25% se compararmos ao valor que seria gasto com a aquisição de um equipamento, mais as despesas com seguro e manutenção”, afirma. Além da economia com papel, Police Neto ressalta que a compra dos tablets vai gerar uma economia com toners e energia elétrica.

A Vivo e a Claro participaram da licitação em 2011, de acordo com o presidente da Câmara, mas só a segunda apresentou uma proposta. Após negociação, a Claro apresentou um preço de R$ 174,82 para o aluguel do tablet e da conexão 3G. A Câmara poderá alugar até 102 aparelhos por um período de até 24 meses, mas, por enquanto, apenas os vereadores receberão o benefício, de acordo com o Police Neto. “Pode ser que o processo evolua para outros serviços, como protocolo, mas até o momento apenas os 55 vereadores receberão os aparelhos”, diz.

Segundo a Câmara Municipal, o contrato prevê a migração para a tecnologia 4G assim que ela passar a ser utilizada no país.

Papel Zero
O primeiro passo do programa Papel Zero foi a digitalização de 11 milhões de páginas de documentos, concluída em 2011. A partir deste ano, quatro estações serão responsáveis pela digitalização dos documentos que chegarem à Câmara. “Todo papel que vier de fora será digitalizado para entrar nesse mundo virtual”, diz Police Neto.

O secretário do Departamento de Tecnologia e Informática da Câmara, Eduardo Miyashiro, estima que 1 milhão de folhas ofício, modelo A4, sejam utilizadas atualmente nas atividades plenárias. Com a utilização dos tablets, a expectativa é reduzir esse número em até 80%.

Fonte: Portal G1

Postagens populares