quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Subcelebridades tentam repetir o efeito Tiririca

Sem reduto eleitoral nem experiência política, eles sonham transformar fama em votos

Débora Álvares, de O Estado de S.Paulo
Nomes conhecidos antes de assumirem carreira política, como Agnaldo Timóteo, Netinho de Paula, Adilson Amadeu e Aurélio Miguel ocupam hoje uma cadeira na Câmara Municipal. Em outubro, nova leva de subcelebridades tentará uma vaga no Legislativo. O fenômeno iniciado nos anos 80, que transformou em vereadores os ex-jogadores Biro-Biro e Ademir da Guia e o boxeador Eder Jofre, se repete a cada nova eleição e ganhou ímpeto após o efeito Tiririca, em 2010.
Marquito, Sonrisal, Mulher Pêra, Serginho e Marcos Oliver - André Lessa/AE
André Lessa/AE
Marquito, Sonrisal, Mulher Pêra, Serginho e Marcos Oliver
Entre as personalidades em campanha neste ano há nomes conhecidos e renomados no esporte, na música e na televisão, mas também pessoas que desfrutaram seus 15 minutos de fama e vão tentar a sorte. A maioria coloca questões como segurança, educação, creches e emprego entre as melhorias necessária, sem no entanto apresentar grandes projetos para a cidade.
Este tipo de candidatura se tornou estratégia dos partidos para conquistar mais cadeiras - manobra possível graças ao sistema de eleição proporcional. É essa a arma do presidente municipal do PTB em São Paulo, Campos Machado, que aposta na candidatura de Marco Antônio Ricciardelli, conhecido pelo personagem que representa no Programa do Ratinho, o Marquito. Ele é uma saída para ampliar a participação da sigla, hoje com três cadeiras na Casa. Sem acompanhar assuntos da política, nem saber detalhar o trabalho de um vereador, o humorista fala com confiança. "Não adianta dizer que sei de política, mas tenho boa assessoria."
Suellem Aline Mendes Silva é o nome de batismo, mas todos a conhecem como Mulher Pêra. Apesar de só ter 25 anos, esta é a segunda vez que ela tenta se eleger - em 2010, tentou uma vaga de deputada estadual pelo PTN. Saindo desta vez pelo PT do B, ela não dispensa decotes e saias curtas. "Não acompanho política, mas, se eu for eleita, vou descobrir como é."
Também em sua segunda eleição, Mauricio Bonatti, de 49 anos, apresenta-se com o apelido pelo qual é chamado desde os 8 anos - Sonrisal, seu personagem no programa A Praça é Nossa. Em 2010, ele tentou se eleger deputado estadual pelo PPS, mas recebeu apenas 5,5 mil votos. Filiado ao PHS, ele aposta em projetos voltados para a comunidade carente.
É o mesmo caminho usado pelo protagonista do programa Teste de Fidelidade, Marcos Flávio de Oliveira Roberto, o Marcos Oliver (PSDB). "Quem debocha e critica é porque não teve a oportunidade de me conhecer, e é isso que quero."
Participante do Big Brother Brasil de 2010, Sergio Luiz de Barros Franceschini, ou apenas Serginho, de 27 anos, admite também que vai usar a fama para tentar ser vereador. A luta política será pela busca de igualdade e pela criminalização da homofobia. Os cantores Ângela Maria, Kiko, do KLB, e os jogadores de futebol Dinei e Marcelinho Carioca engordam a lista dos que disputarão o voto do eleitorado.

Postagens populares